Como abrir uma lanchonete de sucesso: Parte I

O primeiro passo para abrir qualquer negócio, é pensar nos aspectos principais, como: localização, investimento necessário, equipamentos de qualidade. Parece óbvio, mas faz toda a diferença no sucesso do seu negócio.

Nos dias de hoje, os empreendimentos alimentícios são os mais procurados. Por essa razão, o seu negócio tem que se destacar, ou será apenas mais um entre milhares de opções.

Então aqui está as informações necessárias para que de destaque, confira:

Como está o mercado de trabalho nesta área?

A competitividade no setor pode ser alta, principalmente por ser uma área que é necessária para todos, afinal todos precisam comer, certo?

Para que o seu negócio apareça para os outros, faça a si mesmo s seguintes perguntas:

  • Você está localizado em uma área com grande concentração de pessoas?
  • Você está próximo a grandes empresas, escolas, ou outros espaços neste sentido?
  • Você está localizado em uma área onde existe muitas outras lanchonetes?

Quais equipamentos são fundamentais?

Para montar a sua lanchonete é preciso pensar em quais são os equipamentos indispensáveis na sua cozinha. Isso porque esses fatores influência de modo direto no próprio indivíduo que entrar em sua lanchonete.

É necessário que você tenha:

  • Um freezer
  • Exaustores
  • Chapa
  • Geladeira
  • Espremedores de frutas
  • Estufas
  • Fritadeiras
  • Balcões
  • Fornos
  • Talheres e utensílios em geral
  • Caixas
  • Mesas e assim por diante.

Possivelmente, o valor gasto com tais equipamentos (de acordo com dados do Sebrae) para a criação de uma lanchonete pequena, é de em torno R$60 mil, o que já inclui os investimentos iniciais.

Atente à documentação obrigatória!

Para início de conversa é necessário cadastrar-se na Junta Comercial de seu estado, emitindo nesta etapa o seu registro de CNPJ.

Também são necessárias as seguintes documentações: autorização da Fazenda para a emissão de notas fiscais, inscrição da empresa para pagamentos à Fazenda Estadual, enquadramento do tipo sindical, alvará de funcionamento, agendamento de visita com a vigilância sanitária e elaboração de um “manual” de procedimentos e práticas operacionais, conforme determinação da ANVISA.

Para evitar qualquer tipo de complicação com a ANVISA é preciso tomar o máximo de cuidado com a higiene da cozinha – que precisa estar sempre impecável. Preferencialmente, use grande parte dos utensílios em inox, uma exigência básica deste órgão. Além disso, também é necessário agendar uma visita com os bombeiros, que realizarão a vistoria do espaço antes mesmo de ele entrar em operação. Eles emitirão o “laudo de autorização da Corporação”, necessário para conseguir o alvará com a Prefeitura do município.

Continue acompanhando, na próxima semana sairá a parte II!